O Poderoso Chefão e A Estrutura em 3 Atos

Uma maneira clássica de estruturar uma história é separando-a por atos. Dessa forma, fica mais fácil arquitetar as principais tramas, a ordem dos acontecimentos e, claro, o trabalho criativo.

Existem muitas fórmulas sobre boas estruturações em atos, mas a mais famosa delas é a Estrutura em 3 Atos. Muito usada no cinema, é também fácil de encontrar em livros famosos e histórias consagradas. Como todas as outras ferramentas apresentadas aqui no blog, a ideia não é engessar ou limar a criatividade de uma obra, mas ajudar a estruturar a narrativa de forma que o ritmo da história seja satisfatório.

O nome dado a cada um dos 3 atos é Ambientação, Confronto e Resolução, sendo que cada ato tem três pontos a serem abordados. Vamos usar o filme O Poderoso Chefão para analisar cada passo.

 

1 – Ambientação

1.1 – Exposição

Aqui o leitor deve ser apresentado aos personagens e ao mundo. Idealmente vemos o personagem em seu dia a dia, como é sua vida, quais as suas preocupações e anseios.

Michael Corleone leva sua esposa para o casamento de sua irmã, e lhe fala que seu pai é, na verdade, um chefe da Máfia.

1.2 – Evento

O protagonista é apresentado a um evento que não pode fugir. É, em teoria, o principal ponto da história em 3 Atos, onde é descoberto o desafio do protagonista. Também conhecido como “O Chamado para Aventura”.

Lembre-se de ligar esse desafio a fraqueza do seu protagonista. Você deu uma a ele, certo?

Por conta de uma negociação que não deu certo, Don Corleone, o pai de Michael, é baleado.

1.3 – Primeira Decisão

De conhecimento do Evento extraordinário, o protagonista decide abraçar o desafio.

Michael decide proteger o pai, e enfrentar os responsáveis por sua tentativa de assassinato.

2 – Confronto

O Segundo Ato, ou Confronto, normalmente é composto pela maior parte da história.

2.1 – Aumento de Tensão

Aqui é onde o protagonista caminha em direção ao seu objetivo, enfrentando os perigos em seu percurso. As situações devem mostrar o mundo, ou os adversários, tentando impedir o progresso do protagonista.

Michael precisa fugir após os assassinatos e sobreviver aos atentados que seus inimigos organizam contra ele.

2.2 – Meio da História

Por volta de metade da história, algum evento deve ocorrer, idealmente com desfecho negativo, fazendo o protagonista parar e analisar seu objetivo.

O irmão de Michael, Sonny, é morto por uma família rival.

2.3 – Segunda Decisão

Com a crise recém deflagrada no Meio da História, o protagonista deve rever seus atos e repensar seu objetivo. Agora ele tem plena noção do que está em jogo, e reflete sobre seu plano e desafio.

Uma maneira boa de ver esse passo é o protagonista se levantando de um tombo.

Don Corleone organiza uma trégua com as demais famílias para Michael poder voltar para casa.

3 – Resolução

3.1 – Pré-climax

Aqui começa o confronto final entre o protagonista e o antagonista, e onde ficamos mais cientes do poder que está contra o personagem.

Don Corleone morre, vitima de ataque do coração, jogando as familias em polvorosa de novo

3.2 – Clímax

A luta final entre protagonista e antagonista.

Michael organiza um assassinato múltiplo e elimina todas as familias rivais.

3.3 – Desfecho

Tanto em caso de vitória quanto em caso de derrota, aqui o conflito é terminado, e a tensão volta a zero.

Michael vira o novo Poderoso Chefão.

Veja mais posts como esse!

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *