Os 12 Passos da Jornada do Herói

Explicar a Jornada do Herói é “chover no molhado”, mas algumas pessoas pediram para eu falar sobre o conceito. Normalmente fórmulas específicas tendem a aprisionar um pouco a criatividade, mas a Jornada do Herói dá algumas diretrizes bem amplas, facilitando o trabalho ao invés de engessar. Quase como os 7 Passos do John Truby.

Clique para ver grande

A idéia é montar um esqueleto estrutural da sua história baseando em doze passos. Tais passos são os chamados “beats” de enredo, e a ideia é criar uma história original, mas seguindo uma lógica que a audiência entenda em um nível subconsciente, deixando portanto a experiência mais poderosa.

Uma coisa que vale a pena ressaltar é que, assim como os 7 passos, conhecer a Jornada do Herói é um caminho sem volta. Todo livro ou filme que você consumir vai notar alguns desses pontos como bases estruturais.

Outro ponto que vale lembrar é que cumprir os doze passos não faz automaticamente sua obra ficar boa. Um exemplo disso é a obra cinematográfica dO Hobbit(filme, não o livro!), que, embora tenha atingido suas metas de bilheteria, não é vista como um exemplo de história bem contada. Vamos usá-la para expor cada passo.

Mundo Comum

O Herói está em seu lugar e mundo seguro. É onde o vemos em sua mais natural atitude, aprendemos mais sobre ele e o vemos como “um de nós”. Serve para trazer empatia da audiência com o Herói e para mostrar detalhes de sua vida.

Bilbo mora no Condado, um lugar tranquilo e seguro onde todos se conhecem.

O Chamado da Aventura

Pode ser uma ameaça ou perigo que ronda seu lugar de segurança, pode ser apenas um chamado de um parente distante, ou qualquer outra coisa que muda o rumo das coisas em seu Mundo Comum e o cotidiano do Herói.

Gandalf propõe que Bilbo se una a ele em uma aventura perigosa (a fala é bem óbvia “Eu estou procurando alguém para compartilhar uma aventura!” diz o mago).

Reticência do Herói

O Herói percebe que o Chamado da Aventura pode mudar sua vida, ou mesmo ser uma tarefa muito difícil. Dependendo do Herói, aqui ele fica ansioso por ir, mas temeroso que não conseguirá cumprir o necessário, ou mesmo puramente reticente sobre sua real vontade. Mais uma vez é um passo necessário para aproximar a audiência do Herói, mostrando-o duvidando de si mesmo.

 

Os anões organizam a partida com Gandalf para a Montanha Solitária, e Bilbo fica indeciso, pois não é normal um hobbit sair em aventuras perigosas.

Encontro com o mentor

Do alto de suas dúvidas e dificuldades, o Herói encontra alguém (ou algo) mais sábio e/ou poderoso que ele. Munido do conhecimento e com a confiança restabelecida, o Herói aceita o desafio e parte em sua busca.

Gandalf lembra dos feitos dos hobbits do passado para incentivar Bilbo a partir. Diz que coragem é normal em sua família e que apenas seu próprio orgulho o impede de tentar.

Cruzamento do Primeiro Portal

O Herói finalmente dá o primeiro passo em sua aventura, se afastando de seu Mundo Comum e abraçando o desconhecido. Ele pode continuar reticente ou com dúvidas, mas a decisão da partida é definitiva.

Bilbo parte em direção aos anões após um período de indecisão. Animado, ele deixa para trás sua vida comum.

Provações, Aliados e Inimigos

Fora de sua zona de conforto e cada vez mais distante de seu Mundo Comum, o Herói precisa enfrentar desafios e provações de dificuldade cada vez maior. Esse caminho de dificuldades é necessário para dar experiência ao Herói e o fazer ver quem são seus aliados e quem são seus inimigos.

O caminho até a Montanha Solitária é repleto de perigos. Bilbo fortalece sua amizade com os anões e ganha o respeito de um outrora descrente Thorin.

Aproximação

O Herói se aproxima da meta da sua aventura. Pode ser uma localização física, um evento ou um inimigo, mas novamente as dúvidas voltam a rondar seus pensamentos. O Herói sabe que está prestes a enfrentar seu mais difícil desafio.

Com a ajuda das águias, Bilbo e a comitiva se aproximam da Montanha Solitária. Bilbo busca o conselho de Balin sobre os perigos a serem enfrentados em sua busca da Pedra Arken e da luta contra Smaug.

Provação Difícil

A luta final. O Herói enfrenta a crise, que pode ser uma luta tanto externa quanto interna, em busca de seu objetivo final, usando todas as habilidades e aliados que angariou ao longo da obra.

Bilbo e os anões enfrentam Smaug sobre o domínio da Montanha Solitária (reparem que após esse fato a história perde a força e o terceiro filme fica frágil e sem um arco completo).

Recompensa

O Herói vence sua provação, recebe sua Recompensa e cumpre seu destino, terminando a batalha como alguém mais forte e sábio do que antes. A Recompensa pode ter o simbolismo que quiser, pode ser tanto um objetivo físico quanto um conhecimento novo e poderoso.

Bilbo encontra e furta a Pedra Arken, o objetivo de seu contrato.

O Caminho de Volta

Agora seguimos o caminho inverso do Primeiro Portal. O Herói sai do mundo da aventura e começa a retornar para seu Mundo Comum.

Os reis negociam sobre quem deve ficar com a Montanha Solitária e seus tesouros, e embora Bilbo tenha cumprido seu papel, ele já não mais acha que Thorin deveria ficar com a Pedra Arken.

Ressurreição do Herói

O Herói enfrenta um último desafio, agora portador da experiência e de sua Recompensa. Este deve ser o momento de maior impacto emocional no Herói, pois ele ainda precisa vencer o último desafio para ir para casa.

Bilbo decide deixar a Pedra Arken com os inimigos de Thorin.

Regresso com o Elixir

O Herói volta a sua vida normal, mas agora tudo está mudado, pois o personagem que volta está muito mais sábio do que o que saiu.

Bilbo retorna para o Condado, mais sábio e corajoso. Além disso, ele agora possui Um Anel…

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *