Resenha: Game of Thrones – Temporada 8 Episódio 2

Depois de um início com alguma volta às origens, o episódio 2 foi basicamente de preparação e construção de personagens. Dada a expectativa que ronda à porta, é natural que esse seja um episódio mais devagar.

Essa é uma resenha com spoilers.

Forte evolução de personagens…

A chegada de Jaime Lannister no norte causa o impacto que era esperado. O homem responsável pela queda de Bran da torre, pela luta contra Ned Stark nas ruas de Porto Real e pelo assassinato do Rei Louco foi julgado exatamente por aquelas que mais foram impactadas por suas ações: Sansa e Daenerys.

Foi por pouco hein camarada

A Rainha dos Dragões tinha como intenção eliminar o “vilão”, e nem mesmo o conselho de Tyrion a tinha dissuadido. Foi necessária uma intervenção de Bryenne para que Sansa perdoasse Jaime, e um leve apoio de Jon Snow para sacramentar a decisão.

Bom perceber também que, após tantos erros de julgamento, Tyrion tem sua posição ameaçada, e que Daenerys está com cada vez menos paciência para seu principal conselheiro e Mão.

Tyrion achava que seria moleza ser conselheiro…

A cena entre Sansa e Daenerys foi perfeita. Ambas tentando aproximar a distância que as separa, mas os problemas são grandes demais para uma real amizade. Daenerys tenta evitar a conversa franca e direta, se apoiando nos sentimentos que tem por Jon, mas Sansa a pressiona contra a parede, o que faz com que permaneçam apenas como “aliadas temporárias”. Ótimo conflito de interesses.

“E depois que a treta passar hein? Vai querer sair na mão, é isso?”

Theon voltando para servir Sansa foi uma cena muito bacana também.

O ponto alto fica na cena onde Tormund, Jaime, Tyrion, Davos, Podrick e Brienne estão sentados conversando em frente ao fogo. Essa cena é um dos motivos de Game of Thrones ser Game of Thrones. Basicamente nada acontece que mova a história em frente, mas o aprofundamento do relacionamento dos personagens faz muitos dos percalços valerem a pena. E, quando Jaime sagra Brienne “Cavaleira dos Sete Reinos” é impossível não se emocionar.

…mas lento e com algumas obviedades

Eu não vi o terceiro episódio, mas posso garantir que vai dar algum problema nas criptas. O ponto foi muito reforçado por todos como “um local seguro”, e é óbvio que algo os irá provar errados.

“Como pode dar algo errado se esconder no meio dos mortos AO ENFRENTAR UM EXÉRCITO DE MORTOS VIVOS??”

Por conta do ritmo mais lento do episódio, muitas pessoas reclamaram de “enrolação”. Discordo. Embora seja inegavelmente mais lento, a construção e evolução dos personagens mais do que fez valer a pena.

E eu não quero soar como o “pedante medieval”, mas por que você tem um castelo com muralhas se planeja levar a luta para fora delas? É difícil relevar a reunião de discussão de estratégias, onde é definido que vão usar Bran, um paraplégico, como isca no combate. Ou como vão liderar os soldados do lado de fora da muralha.

Um bom episódio. Mantém a nota do primeiro, 3 de 5

Compartilhe!

1 resposta a “Resenha: Game of Thrones – Temporada 8 Episódio 2”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *