Terror na Floresta – Parte Final

Eles cambalearam o mais rápido que podiam, o que não era muito, mas a criatura estava ocupada. Os sons de ossos quebrando ainda preenchiam o ambiente para trás, talvez agora apenas nas cabeças deles. Ag estava quase desmaiando, meio apoiada, meio sendo carregada. Ela tinha um olhar forte, mas era claro que estava perdendo a batalha contra a inconsciencia, e Joe estava com a cabeça ainda na visão insólita que ficara para trás.

Continue lendo “Terror na Floresta – Parte Final”

Terror na Floresta – Parte 4

O caminho de volta foi muito mais dificil de achar do que Joe esperava. Aquela maldita garoa fina estava tornando tudo muito incomodo, Ag estava cada vez mais fraca, e, pior de tudo, ele via um olho amarelo cada vez que virava a cabeça. Com o sangue esfriando, ele começou a sentir o terrível medo que a criatura que os tinha atacado evocava.

Continue lendo “Terror na Floresta – Parte 4”

Terror na Floresta – Parte 3

A pancada desestabilizou Ag, e ela caiu no chão gritando de dor. O braço da criatura era longo e peludo, e, após terminar o movimento de agressão, foi voltando para sua posição atrás das moitas sem pressa. Joe conseguiu ter um vislumbre do enorme corpo que se escondia entre as árvores, e, assustado demais até mesmo para correr, ficou parado observando uma criatura daquele tamanho se movimentar. Não havia barulho. A movimentação dele era lenta e deliberada e aquilo não gerava nenhuma agitação na mata em volta.

Continue lendo “Terror na Floresta – Parte 3”

Terror na Floresta – Parte 2

Ag tinha o arco retesado em direção a aquele olho, enquanto Joe, que estava sentado, desembainhava sua espada devagar, para evitar ao máximo o ruido, e esticava o pé para cutucar Grond, que dormia. Ele pensou que não fazia tanto sentido manter os movimentos devagar, visto que, o que quer que fosse, já os tinha encontrado, mas não conseguiu evitar.

Continue lendo “Terror na Floresta – Parte 2”

Terror na Floresta – Parte 1

Os cavalos estavam cansados, mas eles não podiam parar. Não ainda.
A Estrada Marrom corria sob os cascos, gritando o som dos animais em alta velocidade. Sempre havia o risco de um deles tropeçar em algo e o cavaleiro cair e quebrar o pescoço, ainda mais a noite, mas eles não poderiam diminuir enquanto Epolaine estivesse em seus encalços. E Joe sabia que ela estava. Maldita mulher.

Continue lendo “Terror na Floresta – Parte 1”